Artigos

Disciplina – quando o “não” é necessário e saudável para a criança

family-1784371_640

Como preparar os nossos filhos para a realidade da vida, que não é sempre gentil? Será que eles serão pessoas seguras e capacitadas para enfrentar problemas e desafios ao longo da vida? A disciplina, quando aplicada adequadamente, resulta em sucesso na escola e na capacidade de relacionamento, fazer amizades. É muito importante que os pais ofereçam supervisão, sejam encorajadores  e envolvam-se nas atividades das crianças. Por isso, uma educação que seja mais firme é fundamental para o desenvolvimento delas.

Respeitando a personalidade de cada criança, os pais devem discipliná-la de forma que não seja excessivamente autoritária e nem excessivamente permissiva. Crianças que são controladas de forma muito rígida terão grandes possibilidades de apresentarem dificuldade para tomar decisões e expressar suas necessidades. Por outro lado, crianças às quais é permitido fazer tudo o que querem terão dificuldade para saber o  que é ou não aceitável.

Para a escritora Lya Luft, em seu artigo “Educação e Autoridade”, um “não” é necessário na hora certa, e mais que isso: é saudável e prepara bem mais para a realidade da vida do que a negligência de uma educação liberal demais, que é deseducação. Quem ama cuida, e cuidar dá trabalho, é responsabilidade e nem sempre é agradável ou divertido.

O livro “Família – Urgências e Turbulências”, do filósofo e educador Mário Sérgio Cortella, destaca a falta de convívio familiar e a dificuldade de exercer autoridade sobre os filhos como as principais falhas nas relações familiares atuais. Na publicação, o autor aponta a necessidade de exercer autoridade sobre os filhos e a importância de não transformar desejos em direitos.

Segundo o autor, as mudanças existem e muitos elementos do convívio familiar podem contribuir para uma reflexão na educação dos filhos e interferir na construção da base familiar. Os pais devem lembrar que são os professores dos seus filhos, mas, ainda, são os educadores dos seres humanos que geraram.

Para o especialista, os pais não devem ter medo de confrontar os filhos e achar que discipliná-los pode enfraquecer sua autoridade ou vínculo com eles. Os jovens, principalmente, têm dificuldade de lidar com recusas dos desejos e cabe aos pais delimitar essa linha entre atender às vontades dos filhos e formar suas personalidades.

“Limite não é barreira, é fronteira para podermos saber como nos movimentamos. Isso tem que ser feito, senão é irresponsabilidade. Precisamos de um amor que seja exigente. Não posso dizer para meu filho ou filha “eu te amo e, por isso, faça o que você quiser”. A frase correta é: “porque eu te amo, eu não aceito qualquer coisa”, “porque eu te amo, eu não quero que você faça as coisas deste modo”, explica Cortella.

Isso demonstra o quanto a disciplina é importante e saudável para os nossos filhos e que podemos ser amigos deles, sem perder a autoridade!

 

Cristiane Felix
Analista de Comunicação e Marketing
Colégio Dom Bosco

 

Deixe um comentário

Sede Santa Inês

Avenida Santa Inês, 2031 - Parque Mandaqui
Tel: (11) 3124 0800

Sede Direitos Humanos

Av. Direitos Humanos, 2.781 - Parque Mandaqui
Tel. (11) 2261.2201 / (11) 2261.2428

Sede Horto

Rua Salvador Tolezano, 495 - Parque Mandaqui
Tel. (11) 2232.3232 / (11) 2235.0957

Sede Iesi

Av. Santa Inês, 1079 - Parque Mandaqui
Tel: (11) 2204.4055 / (11) 2261.3635